“Direito de ir e vir” parte II Resposta

Autorização para magistrados do Amazonas se ausentarem do estado é questionada pela AMB

A Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB) deu entrada, na tarde desta quinta-feira, em uma Ação Direta de Inconstitucionalidade (Adin) para questionar resolução editada pelo Tribunal de Justiça do Estado do Amazonas (TJ-AM), que obriga os magistrados a pedirem autorização à presidência da Corte para se ausentarem do estado. A ação foi motivada por pedido da Associação dos Magistrados do Amazonas (Amazon), que, na última reunião do Conselho de Representantes da AMB, realizada no dia 15 de maio, apresentou requerimento para que fosse analisada a possibilidade de ajuizamento da Adin. A proposta foi aprovada pelos conselheiros.

No dia 26 de dezembro de 2007, o TJ-AM editou a resolução 43, regulamentando a prestação jurisdicional em regime de plantão nas comarcas do interior. Segundo a AMB, uma das razões que fazem a norma inconstitucional é o fato de que a ausência de um magistrado em sua comarca é matéria de lei complementar e, por esta razão, não poder ser disciplinada por lei estadual. “Tendo em vista que o dispositivo criou novas obrigações aos magistrados, sem qualquer amparo constitucional ou legal, e ainda usurpando a competência constitucional do Estatuto da Magistratura, tal como dispôs o art. 93, da Constituição”, observa o texto da ação. Exemplos de decisões do próprio Supremo nesse sentido também constam da inicial.

Além disso, a Associação sustenta que a resolução do TJ-AM fere o amplo direito de ir e vir e da dignidade dos juízes, garantindo pela Constituição Federal para todo e qualquer cidadão brasileiro. A própria Loman estabelece apenas a exigência que o magistrado resida na comarca em que atua, não estabelecendo, no entanto, nenhuma restrição quanto ao direito de livre locomoção do magistrado, inclusive para efeitos da ausência da comarca. “Diante do direito fundamental à dignidade da pessoa humana e à liberdade de locomoção, nem mesmo a lei complementar a que se refere o art. 93, da Constituição, poderia conter tal restrição ao direito dos magistrados. Com muito maior razão, não poderia uma lei complementar estadual afastar o cumprimento de garantias constitucionais a que os magistrados têm direito, até na qualidade de cidadãos”, afirma a ação ajuizada no Supremo.

Fonte: Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB) – http://www.amb.com.br

Obesidade e Hipertensão (Dr. Dráuzio Varella) 17

A cada ano, 300 mil pessoas morrem de doenças cardiovasculares no Brasil. A causa de metade dessas mortes é a hipertensão, a pressão alta.

Hipertensão não respeita idade, cor, sexo, nem religião. Negro, branco, oriental, mulher, homem, velho, moço, rico ou pobre, qualquer um pode ter pressão alta. No Brasil, a doença atinge 45 milhões de pessoas. E metade delas nem desconfia que sua pressão está alta.

Creuza Maria Pereira da Silva, 61 anos, doméstica, 70,9 quilos.

– Sua pressão está 19,5 por 12, bem acima do que a gente considera normal, que seria 14 por 9”, avalia o médico que a examinou.

Creuza – Quando eu fico nervosa eu sinto que ela sobe um pouquinho.

Muita gente acha que, quando a pressão sobe, a pessoa tem dor de cabeça. Não é verdade! Geralmente a pessoa não sente nada. Pressão alta é um assassino silencioso.

Sônia e Eremildes sempre gostaram de comer bem.

– Ele me conquistou com uma lasanha maravilhosa que preparou para mim. Com molho à bolonhesa e catupiri e ainda escreveu ‘eu te amo’ com catupiri, diz a assistente financeira Sônia Kiseliovas Santos.

Quando ainda eram namorados, os dois tinham uma vida mais ativa.

Sonia – Quando a gente começou a ficar junto, começou a fazer comida boa um pro outro, né? Resultado: eu tinha 20 quilos menos, mais ou menos isso.

Por que a obesidade faz subir a pressão? Porque quanto maior a quantidade de gordura, maior a resistência à passagem do sangue pelos vasos. O coração é uma bomba que impulsiona o sangue oxigenado através da aorta, a artéria que dá ramos para irrigar o organismo inteiro. Na pessoa hipertensa, o coração encontra mais resistência para fazer a corrente sanguínea progredir através do sistema. Por isso é obrigado a fazer mais força. Faz tanta força que empurra a aorta para cima e para trás.

A distribuição da gordura no corpo pode determinar se existe probabilidade de complicações cardiovasculares. Quem tem culote, quadril largo, coxas grossas – a forma de pêra – corre menos risco. Quando a gordura está concentrada na barriga – corpo em forma de maçã – a chance de ter ataques cardíacos e derrames cerebrais é maior. Nos homens, a circunferência da cintura, medida na altura do umbigo, não deve ultrapassar 102 centímetros. Nas mulheres, deve fica abaixo de 88 centímetros.

Dr. Drauzio – Como a Sônia descobriu que era hipertensa?

Sonia – Uma vez eu fui fazer um check-up normal. O médico mediu minha pressão e eu estava com 24 por 13, mas eu não sentia absolutamente nada. Sinceramente, eu nem sabia que eu tinha pressão alta”.

Dr. Drauzio – Hipertensão é doença traiçoeira. Com 24 de pressão, você poderia ter tido um problema sério, um ataque cardíaco, um derrame cerebral.

Quando se mede a pressão, o aparelho marca dois números. O maior mede a pressão sobre as artérias quando o coração se contrai para bombear sangue para o resto do corpo. O número menor corresponde à pressão do sangue sobre as artérias quando o coração está na fase de relaxamento.

A pessoa sofre de pressão alta quando a máxima é igual ou maior do que 14 e a mínima, igual ou maior do que nove. O ideal é que a mínima esteja em torno de 8 e a máxima não passe de 12.

Para medir a pressão, existem dois tipos de aparelhos. O aparelho normal é usado em qualquer pessoa sem excesso de peso. Mas, pessoas obesas precisam usar outro, que é mais longo. Se não, dá diferença. O aparelho mais longo dá a volta melhor no braço e comprime-o melhor.

Quando descobriu que era hipertensa, num exame de rotina, Sônia levou um susto. Com razão. No Brasil, as doenças do aparelho circulatório são a principal causa de morte entre as mulheres.

Sonia – Eu fiquei bastante preocupada, mas, às vezes, o dia-a-dia da gente, a correria, não deixa a gente tomar a sintonia que devia tomar. Agora é que a gente está começando a fazer.

– O ecocardiograma que você trouxe mostra que o coração já está sofrendo um pouquinho com a hipertrofia devido à pressão alta , diagnostica a médica que está acompanhando o caso.

Para mostrar o estrago que a pressão alta faz no coração, o doutor Drauzio Varella compara dois corações. A diferença do coração normal para o coração de um hipertenso está na espessura da parede, do músculo do coração, que é muito maior no coração do hipertenso.

Por que o coração fica musculoso? Porque para vencer a resistência representada pelas artérias, que vão conduzir o sangue, é obrigado a fazer muito mais esforço. Isso provoca aumento de suas dimensões e,

com o passar do tempo, seu enfraquecimento.

– Toda vez que uma pessoa ganha peso, a pressão sobe. E quando ela perde peso, a pressão cai. É uma relação nítida. E a perda de peso não precisa ser muito grande Muitas vezes, perder 10%, às vezes 5% do peso, já determina uma redução da pressão arterial , explica o médico Décio Mion, chefe da Unidade de Hipertensão do Hospital das Clínicas da USP.

Sonia – Difícil é parar com tudo isso. Acho que a gente hoje está comendo tudo isso porque ainda não foi na endocrinologista. A gente se gosta demais e quer viver muito ainda pra aproveitar a vida.

Para controlar a pressão, é essencial perder peso. E para perder peso, você já sabe, tem que comer menos e exercitar-se mais. Mesmo emagrecendo, algumas pessoas precisam tomar remédio diariamente, às vezes pela vida inteira.  É chato, mas é fundamental para evitar as complicações da hipertensão.

Dr. Dráuzio Varella

Fonte: http://drauziovarella.ig.com.br/qpeso/qpeso8.asp