Sou Juíza 7

Sob o título “Sou Juíza”, o artigo a seguir é de autoria de Angela Schmidt Lourenço Rodrigues, Juíza de Direito em Jacareí (SP). Foi publicado originalmente no site “Judex, Quo Vadis?” (*).

Sou Juíza.

Mas não me atrevo a me identificar em público.

Tempos difíceis… Melhor não fazê-lo.

Na rua, no supermercado, no cinema e até mesmo entre os que não são muito conhecidos, sou apenas a Angela.

Digo aos meus filhos que se calem.

– Não digam que são filhos de juíza! Melhor falar que mamãe é assistente social, advogada ou qualquer coisa que o valha. Não revelem a profissão da mamãe em hipótese alguma!

Minha funcional está no fundo do armário.

Meus cartões de visitas ficam no Fórum. Em compromisso oficial levo um ou dois, apenas para o momento. Nem sonho em carregá-los na bolsa.

Meus hollerites estão muito bem escondidos, até pra evitar o desgosto de ver os descontos de mais de 38% dos meus vencimentos.

A empregada doméstica, muito bem instruída, não deve revelar que trabalha na residência de uma magistrada.

Ser juiz há tempos tem sido muito perigoso. Arriscado.

Mas o pior é que agora é vergonha também.

Não para quem se orgulha do trabalho que faz, como eu.

Mas para quem não nos conhece e nem imagina quanto pesa o nosso fardo…

Aos olhos da população, graças às TVs e aos jornais, somos vagabundos muito bem pagos pra deixar os processos mofando nos armários.

Somos venais, corruptos, vagabundos, os reis da carteirada, bandidos de toga!!

Precisamos de fiscalização incessante! Tal qual crianças irresponsáveis, sem a vigília dos bedéis de um Conselho superior somos incapazes de assumir nossas responsabilidades e “dar conta do serviço”!

Ai de nós se alguma coisa der errado!!! No trânsito, no trabalho, nas ruas. Rezemos pra sair ilesos! A culpa, afinal, é sempre nossa!

Recebi a notícia do ingresso no concurso através do meu próprio pai. Dr. Angilberto Francisco Lourenço Rodrigues, advogado desde 1955, tempos dourados das Arcadas, falecido no ano passado.

Quanto orgulho ele sentiu de mim. Chamou-me de excelência!

Nunca vou esquecer aquele dia. Contava aos amigos que tinha todos os filhos formados em direito, uma promotora de justiça e uma JUÍZA. Falava com ênfase, com o orgulho que os advogados daqueles tempos tinham por ter um magistrado na família.

Pois é, meu pai, meu querido. Esses tempos já não existem mais.

Chego a pensar, apesar da tristeza que me abate, que foi bom o senhor ter partido antes de ter que esconder dos amigos que sua filha é juíza.

Graças a Deus o senhor não tomou conhecimento da vergonha e desonra que se considera o exercício da magistratura nos dias de hoje…

Mas pode ficar tranquilo, pai. Eu tenho certeza absoluta do caminho que estou trilhando. Da causa que abracei.

E consciência tranquila.

Do dever cumprido.

(*) http://judexquovadis.blogspot.com/

  1. Que triste neh Juíza… é tão honrosa esta profissão, mas acho de uma responsabilidade imensa também, e nem se pode mesmo falar..O bom é que nossa recompensa vem do céu e a sua com certeza está guardada.. Que Deus te ilumine cada dia mais e que este amor pelo que faz permaneça …Com certeza lá do alto seu pai continua com muito orgulho por você.. Muita força e fé na sua caminhada…abraços. Regina

  2. Cara. Grande parte dos problemas do nosso país deve-se ao fato de que nos escondemos… Suas decisões são bem fundamentadas? Vc atenta contra a justiça, o direito ou a ética? Vc é uma servidora que cumpre adequadamente suas funções e zela pelo público? Então porque esconder-se… sou servidor público e operador do direito…. há coisas erradas, mas não devemos coadunar com isso e expor nossa oposição de forma firme, essa é a melhor proteção!
    Não temos que ter vergonha do que somos, acreditamos ou fazemos.
    Isso não ajuda ninguém, apenas nos vitimiza e oprime

  3. Graças a Deus hoje há o CNJ! muito bonitas as palavras da Digna Magistrada, entretanto, a realidade que presencio nos fóruns é lastimável. Justiça? de terça à quinta. Juízes (parte considerável) não pisa nos fóruns nos demais dias úteis. Bem queria que todos os magistrados tivesse o senso de responsabilidade (que suponho ter) a nobre autora. Abraço.

  4. Nobre Juíza, Vossa Excelência tem a intelectualidade, tem o talento, mas ta´faltando Fé. A falta de Fé em Deus traz medo e insegurança. Não tenha medo de nada, no entanto ao julgar os acusados evite exagero e acredite menos nos acusadores, duvide mais das testemunhas. A Lei exige perfeição do homem, mas será que o legistaldor foi ou é perfeito? Porque então os magsitrados cobram tanto dos infrigentes? Será que punir uns severamente conserta os demais errados? Conserta o mundo? Ser Juíz é ser um mediador entre a dor a a vingança, entre a verdade e a mentira. Ser juíz é ser solucionador de conflitos. Ser Juíz não é fácil. Sem contar que é impossível evitar que lá de vez em quando não condene um inocente mesmo sem dolo,mas acontece. E o coitado vai pagar como se devesse. Paga com lágrimas contidas para não se mostrar fraco perante os maus, mas paga. E essa paga tem sabor de fel. tem sabor de vigança, tem xeiro de sangue, de morte, tem um ímpeto de loucura. Deus te ilumine mulher e lhe proteja apra qeu nunca tu venhas a condenar um inocente. Só quem sabe o peso de uma acusação sem causa é só qeum já passou por isso. Se tu doutora, tem a consciência limpa, não se esconda que és uma juíza, tenha orgulho dessa invejada profissão. Fale com prazer e com orgulho “Eu sou Juiza” . Parabéns querida. Se quizer contratar um segurança estou a sua disposicão. Hellyo Zanny. 69 9913 7477.
    Abraço e feliz 2012 Excelentíssima

  5. Angela, sou seu primo Fabinho.
    Você leva o nome da nossa avó paterna.
    A galhardia que nossos avós tiveram, tanto da veia paterna, quanto materna (querida D. Luzia)… Você é muito guerreira e correta… Pena só agora ter visto seus escritos, mas sinceramente Ângela, desde que se tornou juíza, você tem a soma de quantas pessoas você ajudou e salvou…???
    A filha maravilhosa que é?
    O exemplo de ser humano que é?
    Até paciência para brincar comigo… E olha que faz tempo, pois completei 40!!!… Kkk
    Minha prima Gi!
    Quem dera neste mundo louco que vivemos, no livre arbítrio, as pessoas escolhessem o caminho do bem, do SER, com humildade, respeito e retidão, tal como vocês sempre foram orientados e você seguiu e segue.
    Tenho muito orgulho de você.
    Beijo no coração
    Fabinho

    (Espero que vc receba essa mensagem… Ah… Meu e-mail é rodriguesadvogados@uol.com.br)
    Bj

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s