LIVRO CONTA HISTORIA DOS PERSONAGENS DO MUTIRÃO CARCERÁRIO Resposta

LIVRO CONTA HISTORIA DOS PERSONAGENS DO MUTIRÃO CARCERÁRIO


A história dos personagens envolvidos no Programa Mutirão Carcerário, realizado em todo o Brasil pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ), vai virar livro e, no futuro, documentário para o cinema, de acordo com o jornalista André Di Ceni, que é assistente do jornalista e escritor José Louzeiro.

Para tornar o projeto realidade, André está percorrendo o País para ouvir depoimentos de magistrados, promotores de Justiça, defensores públicos, advogados e, principalmente, das pessoas – apenados e ex-presidiários beneficiadas pelas soluções adotadas pelo mutirão.Nesta semana, André Di Ceni encontra-se no Espírito Santo.

Chegou na terça-feira (23) e fica até o dia 31, próxima quarta-feira. “Estou viajando por todos os Estados para contar a história dos mutirões carcerários. O objetivo é fazer um panorama atual e o resumo do que foi o mutirão em cada Estado. A missão é localizar personagens que foram beneficiados com os mutirões, pessoas que saíram das prisões depois de ouvidas pelos juízes que atuaram nos mutirões carcerários. Por isso, estarei rodando todo o Espírito Santo, indo na casa de ex-presidiários e também visitando apenados nas cadeias”, disse André Di Ceni.
No Estado, ele está tendo apoio do juiz coordenador das Varas de Execuções Penais, Marcelo Loureiro, e do juiz-corregedor Ezequiel Turíbio. Segundo o jornalista, o livro não é sobre os relatórios dos mutirões. Tem objetivo maior de contar a história dos personagens. “No futuro, após o lançamento do livro, existe a possibilidade de fazermos um documentário”, antecipa André.

O parceiro de André Di Ceni no projeto, José de Jesus Louzeiro, é autor de diversas obras famosas. Hoje, com 80 anos, ele escreveu, por exemplo, o livro “Aracelli, Meu Amor”, que contou a história do sequestro e morte da estudante Aracelli Cabrera Sanches.

A menina, que era capixaba, tinha 8 anos quando desapareceu a caminho de casa, após sair do Colégio São Pedro, na Praia do Suá, em Vitória. Araceli foi encontrada morta depois de seis dias de desaparecida. Seu corpo estava próximo ao Hospital Infantil, na Praia do Canto.
O primeiro trabalho de José Louzeiro no cinema aconteceu em 1976, como co-roteirista do filme “Lúcio Flávio, o Passageiro da Agonia”.

Os livros mais conhecidos de José Louzeiro são: “Infância dos Mortos”, argumento do filme Pixote; “Lúcio Flávio, o Passageiro da Agonia” (título homônimo no cinema); “Araceli, Meu Amor”; “Em Carne Viva”, lembrando o drama de Zuzu Angel e de seu filho Stuart Angel, morto na tortura, na década de 60.

Assessoria de Comunicação do TJES
25 de outubro de 2012

Parabéns André Di Ceni

O Domínio dos Fatos e o Kaiser Resposta

O Domínio dos Fatos e o Kaiser.

É vetusto o entendimento de que é possível atribuir-se culpa a agente, por determinada conduta considerada ilícita, com base no conjunto probatório recolhido durante o contraditório processual.

Como disse o ministro Ayres Brito, no voto que condenou o ex-chefe da Casa Civil, todas as provas formam um mosaico, como se fosse um grande quebra-cabeça, a partir do qual, desenha-se a conduta de cada qual, no esquema de corrupção.

Com o encaixe de todas as peças da engenhosa trama política, pôde-se visualizar que o então ministro Zé Dirceu, por sua atividade plenipotenciária de arquiteto das ações do governo e de interlocutor do PT com a base aliada, em hipótese alguma poderia desconhecer as articulações engendradas nos bastidores da política.

Daí é de se estranhar a grita de advogados – notadamente aqueles patrocinados pelos réus – de que o Supremo está a inovar quando aplica a Teoria do Domínio dos Fatos, que nada mais é do que a imputação de culpa ao réu que exerce posição de influência em determinada área de atuação, de maneira que é capaz de induzir comparsas a anuir com atividade criminosa, mesmo que a atividade não fique demonstrada por meio de prova inconcussa.

Os crimes de lavagem de dinheiro e corrupção ativa transcorrem intra muros e seus vestígios são muito bem mascarados. Vai-se exigir o que? gravação de declaração em que o corruptor diz em alto e bom som  que o dinheiro é destinado a compra de votos e passe recibo?

A conspiração que veio à tona era a mais intrincada possível. Desvelaram-se contratos de empréstimos milionários junto a bancos públicos, liberados sem lastro algum, a agências de publicidade.

Descortinou-se que havia um tesoureiro (Delúbio Soares) e um outro (Marcus Valério) que realizava o pagamento de altas somas em dinheiro a vários políticos ou partidários, cuja distribuição coincidia com votações importantes que aconteciam no Congresso Nacional.

Zé Dirceu era o “enviado do Soberano”, o longa manus de Lula. Ele próprio se intitulava o articulador das ações do Governo e disse em seu depoimento, sem meias palavras,  que a base aliada “tinha que aderir” aos projetos da base aliada.

Inferir a participação dele é um trabalho de dedução lógica, que prescinde de malabarismo mental. Está escancarado, simplesmente porque o contexto das provas convergem a tal entendimento.

Portanto, não é preciso dizer que a tese alemã, acima citada, é novidade ou que está sendo importada sob encomenda. O pano de fundo da celeuma, em verdade, é que a exegese, digo melhor, a nova atitude do Judiciário, poderá enquadrar outros proeminentes, inclusive o Kaiser, que nada viu, ouviu ou sentiu. 

Autor: Roberto Hermidas de Aragão Filho – Juiz Auxiliar da Corregedoria Geral de Justiça do Amazonas (TJAM)

Barreirinha/Am adere ao Movimento Novo Ficha Limpa e aprova a sua Lei de combate a corrupção 1

Na sessão ordinária de quinta-feira 27 de setembro, na Câmara Municipal de Barreirinha, a Lei de Iniciativa popular foi aprovada, dos 9 vereadores da atual legislatura compareceram 7 e por unamidade conforme a Lei a Orgânica do Município numero 149/12, Artigo 92 inciso 1, aprovaram a lei que passa a vigorar a partir de hoje no Município.
Presente na sessão representantes de igrejas e membros da sociedade civil organizada, o promotor de justiça da comarca Claudio Tanajura e o juiz eleitoral André Luiz de Campos. Segundo o magistrado a Lei que entra em vigor de imediato “é uma resposta da sociedade que quer fora aos gestores corruptos, mas para isso a sociedade precisa estar atenta e não apenas assinar para aprovação mas que ela possa cobrar o cumprimento da lei”  disse
O representante da Comissão Nacional dos Direitos Humanos CDDH do Amazonas e Roraima Advogado Renato de Almeida Souto presente na sessão da câmara informou que foram entregues a câmara do município  mais de 2 mil assinaturas e que a partir de agora a sociedade vai acompanhar de perto o cumprimento da Lei pois, a sociedade não aguenta mais conviver com a corrupção no país”, espera
Segundo informações do Juiz Eleitoral o Município de Barreirinha é o 5º a aprovar no estado do Amazonas a lei da Ficha Limpa e adequar a Lei Orgânica do Município.
O professor Rubem Barbosa que subiu na tribuna representando as demais instituições disse que o esforço de todos foi importante na coleta de assinaturas, “esperávamos muito por isso, pois o povo brasileiro já provou que é contra a corrupção e participa das assinaturas para coibir a corrupção aqui no município”, salienta
O presidente da Câmara Márcio Marques PT, disse que a Lei foi aprovada agora antes da eleição, assim os novos gestores a partir de 2013 terão que se adequar a Lei e muita coisa deve mudar até mesmo na contratação dos servidores no próximo mandato, “estamos convictos de que fizemos o nosso papel de aprovar a lei aqui na câmara e a partir de agora que seja cumprido e cabe a população acompanhar pois, é o clamor da sociedade que está sendo atendido neste momento e não podemos fugir dessa clamor, aproveitar para parabenizar todas as igrejas e instituições que estiveram empenhados na coleta de assinaturas isso é sinal de que o nosso povo está se politizando a cada dia e a sociedade é importante nesse trabalho”, disse

 

Extraído: http://www.barreirinhaemdestaque.com.br/noticias_ver.asp?ID=851